domingo, 25 de março de 2007

Está aberta uma nova época Estado Sónico.
Por vezes sentir o vazio da ausência cria uma capacidade de abstracção suficientemente forte que nos permite distanciar das coisas e realmente retirar delas o conteúdo e o contexto que sempre nos tinha escapado. Fáz-nos sentir de novo nós e ter, de novo, na mão a capacidade de criar. O mais interessante surge com a percepção de que é feito sem saudosismos, sem justificações, sem cedências, é feito porque é! Porque assim aconteceu. E tem sabido bem não estranhar a sala de ensaio cheia de cinco caras familiares, de sons esquecidos, de sons em recriação, de ideias em estruturação, de vontade e de desprendimento de preconceitos.
A ideia presente nas nossas mentes é tocar, fazer fluir as canções em que acreditamos.
Em Estado Sónico no presente estão José Polido, Nuno Lopes, Luis Guerreiro, Sérgio Alves e Donato Rosa. E este espaço pretende ser um espaço aberto e em constante mutação para receber e dar informação. Porém o mote continua o mesmo: quem não aguenta, sai!
Quanto a nós, encontramo-nos por aqui.

3 comentários:

carlos disse...

que fluam as canções então!
abraço!

Bruno Monteiro disse...

que fixe!
obrigado.

Anónimo disse...

só mesmo o polido consegue fazer este tipo de trabalho . Um abraço e vamos continuar a divertirmo-nos